Um total de 5.821 operacionais estiveram envolvidos esta segunda-feira no combate a incêndios em Portugal. Até às 21:45 foram registados 275 incêndios no continente, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil, sendo que a essa hora ainda estavam ativos 25 fogos.

No combate às chamas, refere a Proteção Civil na sua página na Internet, estiveram também envolvidos 2.148 meios terrestres e foram usados repetidamente meios aéreos, em mais de 100 intervenções.



Das 275 ocorrências, 25 continuam assim em curso. As mais preocupantes ocorrem nos concelhos de Arouca, Penafiel, GouveiaMangualde, Póvoa do Lanhoso, Monção e Vila Nova de Cerveira, todos com mais de três horas desde o seu início e envolvendo, no mínimo, 15 meios operacionais.

No caso de Mangualde, o presidente da Câmara de Mangualde fala já em centenas de milhares de euros em prejuízo e estão a provocar uma "situação de grande alarme".

João Azevedo explicou à Lusa que, por volta das 21:30, "duas grandes frentes de incêndio estavam a aproximar-se das casas nas povoações de Cunha Alta e Almeidinha".

"Já foram retiradas algumas pessoas das habitações, por precaução, especialmente crianças e idosos. O concelho vive uma situação de grande alarme, adivinhando-se uma noite muito difícil. Todos os meios estão a ser usados, mas os ventos estão sempre a mudar, muito rapidamente", acrescentou.

Ao final do dia "ardeu uma casa com brasão, na aldeia da Mesquitela, que se encontrava desabitada" e também já arderam alguns barracões agrícolas", provocando "centenas de milhares de euros em prejuízo"


Segundo a página da Autoridade Nacional de Proteção Civil, atualizada às 21:45, encontram-se a combater as chamas no concelho de Mangualde, distrito de Viseu, 293 operacionais, apoiados por 87 veículos.

O maior número de incêndios, esta segunda-feira, ocorreu no distrito do Porto. Braga e Viana do Castelo foram os outros dois distritos onde se registaram maior número de ocorrências.

Aliás, em Viana do Castelo ainda permanecem ativos dois incêndios que começaram no sábado: os fogos de Monção, em mato, ainda com duas frentes ativas e a ser combatido por 236 operacionais e 77 meios terrestres; e Vila Nova de Cerveira, na localidade de Corgas-Candemil, com duas frentes ativas, 397 operacionais a combater as chamas, apoiados por 129 meios terrestres.

No distrito da Guarda, 197 operacionais combatem esta noite um incêndio em mato na Senhora do Monte, no concelho de Gouveia, apoiados por 64 meios terrestres.

Na localidade de Vila Viçosa, no concelho de Arouca, distrito de Aveiro, 190 operacionais, apoiados por 55 meios terrestres, combatem um incêndio em floresta, que teve início às 15:43 e permanece com três frentes ativas.

Em Braga, no concelho de Póvoa do Lanhoso, um incêndio em mato, na localidade de Monte da Estabela, permanece com quatro frentes ativas e está a ser combatido por 47 operacionais, apoiados por 15 meios terrestres. 

No distrito do Porto, um incêndio em Milhundos, no concelho de Penafiel, que teve início às 15:30, está a ser combatido por 50 operacionais, apoiados por 15 viaturas.

No mês de julho passado, segundo as estatísticas da Proteção Civil divulgadas na sua página na Internet, foram registados 4.056 incêndios.

Desde o início do ano, 8 e 9 de agosto, foram os dias em que foram registados maior número de ocorrências, com 295 e 382, respetivamente.