O incêndio que deflagrou sábado de manhã no concelho de Loulé, distrito de Faro, está dado como dominado,  segundo a página na Internet da Proteção Civil.

Os meios de combate a incêndios têm sido reforçados ao longo do dia, desde o início do fogo, às 11:23 em Ameixial, e que, entretanto, já chegou ao concelho de Almodôvar, no distrito de Beja.

Ao final da tarde, o incêndio mobilizava 550 elementos, 183 veículos e oito meios aéreos contra as chamas, que às 22:28 continuavam no local.

O incêndio propagou-se durante o dia ao vizinho concelho de Almodôvar, no Alentejo, onde uma das frentes era tida como a mais preocupante.

Segundo a Proteção Civil não há construções em risco, já que o fogo lavra apenas numa zona de mato e de eucaliptal.

Em declarações à agência Lusa, o Comandante Operacional Distrital de Beja, major Vítor Cabrita, adiantou que o incêndio foi dado como dominado cerca das 21:00.

Extinto de madrugada

Contactado pela Lusa, o presidente da Câmara Municipal de Almodovar congratulou-se com o facto de o incêndio estar "controlado", referindo ter sido informado pelo comando operacional de que, salvo algum imprevisto ou mudança repentina de vento, o fogo poderá vir a ser extinto durante a noite de hoje ou madrugada de domingo.

Segundo o autarca, as condições meteorológicas, com mais de 80 por cento de humidade, poderão ajudar os bombeiros na tarefa de apagar o incêndio que atingiu o concelho de Almodovar.

Estou otimista", afirmou à Lusa, revelando que "só houve uma povoação em risco", a de Corte Figueira Mendonça, e um "monte muito pequeno", mas que a intervenção dos bombeiros e meios aéreos evitaram o pior.

O presidente daquela edilidade congratulou-se ainda por "não haver vidas humanas a lamentar", referindo que o fogo causou estragos na agricultura e queimou sobreiros e pastagens do gado.

Durante a tarde, o incêndio chegou a lavrar em duas frentes ativas, uma de um quilómetro e outra de quilómetro e meio, consumindo área de eucaliptal e de mato, segundo a Proteção Civil.

Às 15:15 a página internet da Proteção Civil indicava que as chamas, que lavram desde as 11:23, estavam a ser combatidas por 276 operacionais, 89 viaturas e cinco meios aéreos.