A tragédia tem tudo para ser ainda mais grave, a avaliar pelas palavras do presidente da Câmara de Pedrógão Grande, segundo o qual, o número de mortos causados pelo gigantesco incêndio será muito superior aquele que se conheciam até ao momento em que falava aos jornalistas. Nessa altura, sabia-se que 19 pessoas tinham perdido a vida. Um número que foi atualizado, cerca das 03:00, pelo primeiro-ministro, António Costa, para 24.

Estou chocadíssimo com o número de mortes. Estou convencido que vai ser o dobro. Mais do dobro de mortes", salientou Valdemar Alves, lembrando que há aldeias destruídas que "não tiveram ainda inspeção pelos bombeiros".

 

Com certeza que vamos encontrar alguns cadáveres, nalgumas casas", acrescentou o autarca.

Valdemar Alves lembrou que nas aldeias do seu concelho, "havia pessoas em casa, à hora a que foi, população idosa, muita a dormir a sesta e não dava tempo para fugir".

Penso que haverá famílias com número superior a três vítimas, que estavam na mesma casa", acrescentou o autarca, considerando que era "impossível" fazer mais para combater o brutal incêndio, porque "o vento era muito forte".

Algumas das vítimas já confirmadas “serão do concelho”, outras poderão ser visitantes “ou que emigraram de Pedrógão [Grande]”, acrescentou o autarca.