O comandante dos Bombeiros Voluntários de Castanheira de Pera disse hoje que um dos bombeiros internados em Lisboa já saiu do coma induzido e que a operacional internada em Coimbra está estável e a recuperar bem.

"O bombeiro internado no Porto foi operado ontem [segunda-feira] à tarde e ainda não tenho mais informações. Um dos homens que está internado em Lisboa está com um prognóstico mais reservado. Houve ali uma estagnação na recuperação", disse José Domingues à agência Lusa ainda a propósito do incêndio que começou em Pedrógão Grande no dia 17 de junho e que provocou 64 mortos e mais de 200 feridos.

Dois voluntários de castanheira de Pera, pai e filho, estão internados no Hospital de Santa Maria (Lisboa), sendo que o jovem já saiu do coma induzido e, neste momento, o pai é o que inspira maiores cuidados, uma vez que houve uma estagnação na sua recuperação.

O operacional que se encontra no Hospital de São João (Porto) foi submetido a uma intervenção na segunda-feira e, neste momento, José Domingues ainda não tem informação sobre o seu quadro clínico.

O comandante dos voluntários de Castanheira de Pera sublinhou que a operacional internada em Coimbra é, aparentemente, a que está a recuperar "a olhos vistos", sendo o seu quadro clínico estável.

O incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande no dia 17 de junho, no distrito de Leiria, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 200 feridos, e só foi dado como extinto uma semana depois.

Mais de dois mil operacionais estiveram envolvidos no combate às chamas, que consumiram 53 mil hectares de floresta, o equivalente a cerca de 75 mil campos de futebol.

A área destruída por estes incêndios na região Centro corresponde a praticamente um terço da área ardida em Portugal em 2016, que totalizou 154.944 hectares, segundo o Relatório Anual de Segurança Interna divulgado pelo Governo em março.

Das vítimas do incêndio que começou em Pedrógão Grande, pelo menos 47 morreram na Estrada Nacional 236.1 ou em acessos a esta, entre Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos, concelhos também atingidos pelas chamas.

O fogo chegou ainda aos distritos de Castelo Branco, através da Sertã, e de Coimbra, pela Pampilhosa da Serra e Penela.