O incêndio que lavra em Góis deste sábado estava ao início da manhã desta segunda-feira a evoluir favoravelmente, tendo sido extintas três das suas cinco frentes, disse à agência Lusa o adjunto do Comando Nacional de Bombeiros, Pedro Nunes. Isto depois de, durante a noite, mais aldeias terem sido evacuadas.

A situação é muito mais favorável do que aquela que tivemos ontem (terça-feira) à tarde e que tivemos também durante a noite. Temos duas frentes ativas ainda, que estão a ceder aos meios de uma forma considerável", explicou.

Segundo o responsável, as duas frentes ativas são na zona dos lugares de Capelo e de Carvalhal. As outras três frentes "já se encontram em rescaldo e vigilância", acrescentou.

O comandante das operações de socorro, Carlos Tavares, indicou pelas 13:30 que se esperam "algumas reativações, atendendo ao aumento de temperatura e também à velocidade de vento, situações que, no terreno, estamos a tentar controlar de forma eficaz".

O responsável referiu que a intenção é "dominar o incêndio o mais rápido possível" e aproveitar "a ajuda da entrada de humidade junto às 18:00/19:00".

O nosso principal objetivo será dominar o incêndio o mais rápido possível, sendo que estas condições de aumento de temperatura e velocidade do vento nos estão a dificultar e é previsível que tenhamos algumas reativações fortes".

A presidente da câmara de Góis, Lurdes Castanheira, também indicou que a situação está "estabilizada". "Alguns focos de incêndio, mas nada significativo. Durante a noite teve de ser evacuada a aldeia do Sobral, mas queremos acreditar que durante o período da tarde, embora a temperatura seja ainda significativa, que haja melhoras".

Não houve qualquer desmobilização dos operacionais no terreno. "Estamos em fase de prevenção, a qualquer momento pode acontecer alguma coisa grave".

Foram mobilizados para o teatro de operações cerca de 1.070 operacionais, apoiados por 350 veículos, com a "ajuda preciosa de nove máquinas de rasto", nas palavras de Pedro Nunes.

"E têm ordem de missão para vir para este teatro de operações onze aviões pesados, dois dos quais já se encontram a operar desde as 08:00", acrescentou.

Mais aldeias foram evacuadas durante a noite

Durante a noite, mais aldeias tiveram de ser evacuadas. Saião, Salgado e Mimosa foram "completamente evacuadas", elevando para 30 o total de aldeias alvo desta medida. 

"Não está lá quase ninguém, mas fomos lá verificar se havia mais alguém", adiantou à Lusa fonte do comando da Guarda Nacional Republicana (GNR).

As chamas "movimentaram-se para norte", pondo em risco outras povoações, que, entretanto, estarão já "livres de perigo".

Ontem, no mesmo concelho, já tinham sido evacuadas 27 aldeias. Foram retiradas 155 pessoas de aldeias, segundo informação da presidente da câmara local, Lurdes Castanheira.

A câmara municipal decidiu ativar o Plano Municipal de Emergência logo na terça-feira, pelas 14:00.

Tempo melhorou durante a noite

As condições meteorológicas estiveram “mais favoráveis” ao combate aos incêndios durante a noite. Porém, durante o dia de hoje as temperaturas vão continuar elevadas.

“Neste momento, comparativamente com a noite de ontem [terça-feira], nos distritos de Coimbra, Leiria, Santarém e Castelo Branco, na noite de hoje os valores de humidade relativa são ligeiramente superiores (…), as temperaturas do ar, neste momento, na maior parte dos distritos que referi, as temperaturas estão ligeiramente mais baixas”, diss à Lusa a meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), Ângela Lourenço, pelas 05:00 da manhã.

A temperatura e humidade relativa estão mais favoráveis ao combate aos incêndios, pelo menos durante as próximas horas. Os parâmetros meteorológicos mais importantes para o combate aos incêndios são a temperatura, a humidade relativa do ar, o vento e, claro, a precipitação, caso ela exista”.

Em relação ao vento, “não há grandes variações em termos de intensidade do vento e direção”, comparando com a noite de terça-feira.

Para hoje, prevê-se que “a temperatura durante o dia persista elevada” nos quatro distritos afetados, embora com valores mais baixos do que os “registados nos últimos diasmas a rondar, mesmo assim, os 31, 32 e 35 graus.