O homem de 73 anos que na segunda-feira foi encontrado morto no concelho do Sabugal, no local onde deflagrou um incêndio rural, morreu cercado pelas chamas que ateou, esclareceu esta terça-feira a Polícia Judiciária (PJ).

O Departamento de Investigação Criminal da PJ da Guarda refere em comunicado divulgado esta terça-feira que, com a participação direta de peritos do Laboratório de Polícia Científica, que também participaram na inspeção ao local, "recolheu elementos fortemente indiciadores" em como o incêndio florestal "teve origem em queima de sobrantes".

Esta atividade foi levada a cabo por [um] homem de 73 anos de idade, que, entretanto, foi cercado pela força das chamas que rapidamente fugiram ao seu controlo e que provocaram a sua morte no local", refere a nota.

Segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) da Guarda, o corpo da vítima "foi encontrado carbonizado no local do incêndio" pelas 11:45 de segunda-feira.

Fonte do Comando Territorial da GNR da Guarda disse à Lusa que o homem foi encontrado morto por uma patrulha que se deslocou ao local do incêndio, nas proximidades de Terreiro das Bruxas, localidade que pertence à freguesia de Santo Estevão e Moita, no concelho do Sabugal.

O incêndio deflagrou pelas 10:53 de segunda-feira, numa zona de mato, e, pelas 12:30 entrou em fase de conclusão.