Notícia atualizada às 18h12

Os quatro feridos que resultaram do acidente com uma viatura militar envolvida no combate aos incêndios no concelho do Funchal, que provocou, também, uma vítima mortal, deverão ter alta ainda hoje, informou fonte hospitalar.

«Deram entrada no serviço de urgências quatro pessoas. São dois civis e dois militares e nos quatro casos não há situações de risco», disse à agência Lusa a diretora clínica do Hospital dr. Nélio Mendonça, no Funchal, Sidónia Nunes.

A médica adiantou que «um dos feridos vai ser observado pela neurologia e outro pela ortopedia e prevê-se que os quatro tenham alta hospitalar ainda hoje».

O Exército assegurou hoje apoio aos familiares da vítima mortal do acidente com uma viatura militar envolvida no combate aos incêndios florestais no Funchal e o acompanhamento dos quatro feridos, dois civis e dois militares, que resultaram do sinistro.

«O Exército deslocou de imediato para o local uma equipa médica, uma equipa de peritagem para apuramento das causas do acidente e irá disponibilizar apoio aos familiares da vítima mortal, bem como o acompanhamento da situação dos feridos no acidente», lê-se num comunicado da instituição militar.

O comunicado informa que o acidente ocorreu pelas 12:30, na Barreira, freguesia de Santo António, quando a viatura «ficou desgovernada numa descida, tendo embatido em vários automóveis e acabado por ficar imobilizada na entrada de uma casa».

Reiterando o «profundo pesar à família enlutada», o Exército repete que «já procedeu à abertura de um inquérito para apuramento das circunstâncias» do acidente e assegura que vai «continuar a garantir o apoio que tem sido dado às entidades e às populações vítimas dos fogos florestais».

O despiste de uma viatura do Exército, envolvida no combate aos incêndios no Funchal, com cinco militares a bordo, provocou hoje um morto e quatro feridos na Barreira, freguesia de Santo António.