O Exército anunciou esta segunda-feira a abertura de um processo de averiguações para apurar as causas do acidente com uma viatura da instituição militar envolvida no combate aos incêndios no Funchal e que provocou uma vítima mortal e três feridos.

«Confirmamos a abertura de um processo de averiguações para apuramento das causas do acidente, bem como da responsabilidade associada ao mesmo», disse à agência Lusa o porta-voz do Exército, tenente-coronel Jorge Pedro.

O responsável salientou que «o Exército lamenta e apresenta as mais sentidas condolências aos familiares da vítima mortal e acompanha a situação dos outros feridos».

«Apesar da trágica situação hoje ocorrida, o Exército irá continuar a garantir o apoio que tem sido dado desde sexta-feira às entidades e às populações vítimas dos fogos florestais», acrescentou o porta-voz.

O despiste de uma viatura do Exército, envolvida no combate aos incêndios no Funchal, provocou hoje um morto e vários feridos na Barreira, freguesia de Santo António, disse à agência Lusa fonte policial.

Segundo relataram testemunhas no local, a viatura do Exército, com militares no interior, «descia a rua quando terá ficado sem travões».

A viatura, de acordo com os mesmos relatos, «começou a embater em vários carros estacionados», tendo acabado por ficar imobilizada na «entrada de uma casa onde estavam duas mulheres», uma das quais é a vítima mortal.

«A população e outros militares encontravam-se a fazer a limpeza de silvado nas imediações da via, para prevenir a propagação de incêndios, quando, de repente, foram apanhados de surpresa pela viatura militar desgovernada que bateu em sete carros estacionados», informaram testemunhas oculares.

A vítima mortal é uma enfermeira com cerca de 50 anos. Os três feridos, que serão ligeiros, um dos quais o condutor da viatura, foram transportados para o Hospital dr. Nélio Mendonça, no Funchal.