O incêndio que lavra numa zona de mato e de pinhal na área da freguesia de Rochoso e de Monte Margarida, no concelho da Guarda, está com três frentes ativas, disse à agência Lusa o presidente da autarquia.

De acordo com Álvaro Amaro, pelas 19:30 as chamas, que tiveram início às 13:15, na zona de Rochoso, continuavam a progredir, mas sem afetarem habitações.

O autarca adiantou que o fogo atingiu áreas das localidades de Monte Margarida, Rochoso, Rabaça e Porto Mourisco, no concelho da Guarda, e que as informações de que dispõe lhe foram transmitidas pelo presidente da Junta de Freguesia de Rochoso, "alguns bombeiros" e habitantes.

Disse que tem andado "para um lado e para o outro" e ainda não teve qualquer contacto com o posto de comando da proteção civil que está no terreno, por o mesmo se encontrar perto da aldeia de Cabreira, no vizinho concelho de Almeida.

"Eu não fui ao posto de comando porque está muito longe do fogo. Parece que está muito longe do fogo, parece que está num local para ver melhor", justificou Álvaro Amaro.

O presidente da Câmara Municipal da Guarda adiantou que durante a tarde já falou "três ou quatro vezes" com o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, destacando a preocupação do governante, com quem tem estado "em permanente contacto".

O autarca está "muito" preocupado com o incêndio, nomeadamente por, com o cair da noite, os meios aéreos que têm estado a atuar terem de abandonar o local.

"[Tenho] preocupação, porque dentro em breve deixaremos de ter os dois meios aéreos e, com as frentes ativas, creio que vamos passar um mau bocado. Registo o notável trabalho dos cidadãos que se uniram todos e dos bombeiros que vão estando espalhados, mas o posto de comando não o vejo", rematou Álvaro Amaro.

Pelas 19:45 o incêndio estava a ser combatido por 229 operacionais, 76 viaturas e um meio aéreo, segundo a página na internet da Proteção Civil.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um incêndio que deflagrou esta segunda-feira numa zona de mato e de pinhal na freguesia de Rochoso e Monte Margarida, concelho da Guarda, está a ser combatido por 150 operacionais, auxiliados por 50 veículos e um meio aéreo.

De acordo com uma fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) da Guarda, o fogo deflagrou às 13:15 na zona de Rochoso.

Não há povoações em perigo", assegurou pelas 16:30 à agência Lusa a fonte do CDOS, indicando que naquela altura estavam a ser mobilizados "mais meios para o local".

Ainda no distrito da Guarda registam-se mais dois incêndios rurais, um no concelho de Almeida e outro no de Vila Nova de Foz Côa.

O incêndio de Almeida começou às 16:24 numa zona de mato próximo da localidade de Azinhal e está a ser combatido por 19 homens e quatro veículos.

Em Vila Nova de Foz Côa lavra um fogo em mato, na área da povoação de Murça, na freguesia de Freixo de Numão, que está a ser combatido por 23 operacionais, seis viaturas e um meio aéreo, segundo a página na internet da Proteção Civil.