O incêndio que deflagrou na Conforama de Vila Nova de Gaia, na quarta-feira, teve origem criminosa. É a conclusão das primeiras perícias levadas a cabo pela Polícia Judiciária. De acordo com o jornal «Público», as autoridades já colocaram de parte a hipótese de se ter tratado de um fogo acidental.

O jornal avança que a PJ detetou a presença de produtos acelerantes, durante as investigações no local. Fonte policial confirmou ainda a presença de bidões de gasolina nas instalações da Conforma.

A forma como o fogo evoluiu, apesar das condições atmosféricas desfavoráveis, já tinha intrigado os bombeiros. «Em 20 minutos, o fogo evoluiu de uma forma muito rápida. Foi realmente estranho. Com 50 homens no combate e não conseguimos fazer nada. Foi uma situação surpreendente aquela com que me deparei», disse ontem ao PÚBLICO o comandante da Companhia de Sapadores Bombeiros de Gaia, Salvador Almeida.

O alerta para o incêndio foi dado às 05:30 de quarta-feira. Quando chegaram ao local, os bombeiros optaram por deixar arder controladamenteas instalações, uma vez que o fogo já estava bastante avançado. As chamas consumiram por completo o armazém e a loja de móveis.

Câmara de Gaia disponível para apoiar reconstrução da Conforama

Conforama: incêndios acordou moradores