O incêndio florestal que deflagrou ao início da tarde de sexta-feira no concelho de Pombal provocou cinco feridos ligeiros, dois dos quais bombeiros, estes na sequência do despiste da viatura em que seguiam.

Além dos dois elementos da corporação de Voluntários de Vila Nova de Poiares, distrito de Coimbra, feridos no despiste, o combate às chamas também provocou ferimentos ligeiros em três outras pessoas, que sofreram queimaduras e/ou inalação de fumo, disse à agência Lusa fonte da Proteção Civil.

Pelas 00:30, o fogo, que teve início em povoamento florestal da freguesia de Vila Cã, no município de Pombal (distrito de Leiria), estava a ser combatido por 529 operacionais, apoiados por 159 meios terrestres, entre os quais quatro máquinas de rasto, precisou o comandante de operações Paulo Santos, da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

O incêndio mantém-se ativo, com duas frentes, que “ainda inspiram preocupação” e “muito trabalho”, adiantou a mesma fonte, sublinhando que, no entanto, a situação é agora mais “favorável” do que aquela que se registou na tarde de sexta-feira.

Este é um incêndio muito complexo”, porque tem progredido através de diversas ramificações, numa zona onde existem pequenas localidades muito dispersas, acrescentou o responsável, prevendo “muito trabalho durante toda a noite” para os operacionais envolvidos no combate às chamas.

Além disso, têm ocorrido alguns reacendimentos na área atingida pelo incêndio, com um perímetro já muito extenso, explicou.

De acordo com a página da ANPC na internet, pelas 00:50, o território do continente era atingido por um total de 39 incêndios florestais, 13 dos quais ativos, três em resolução e 23 em conclusão, mobilizando, no seu conjunto um milhar de operacionais e 292 viaturas.