Um incêndio com uma frente ativa em Baião, distrito do Porto, está a ser combatido por 94 operacionais, auxiliados por 29 meios terrestres. 

Os meios que estão no local são, para já [cerca das 10:40], suficientes", revelou fonte dos Bombeiros Voluntários de Baião.

De acordo com fonte da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), "não há habitações em risco" no incêndio em mato que começou no domingo, minutos antes do meio-dia.

O fogo em Baião é um dos três incêndios considerados significativos em Portugal continental, ou seja, com duração superior a três horas e com mais de 15 meios de proteção e socorro envolvidos.

Por sua vez, na localidade de Danaia, freguesia de Cuide de Vila Verde, concelho de Ponte da Barca, distrito de Viana do Castelo, um outro incêndio mobiliza 76 operacionais, 24 meios terrestres e três meios aéreos .

Segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Braga, o incêndio que lavra desde as 01:19 em Ponte da Barca, Viana do Castelo, propagou-se ao concelho de Vila Verde, no distrito de Braga.

Fonte daquele serviço da Proteção Civil, revelou ainda que o fogo, que chegou a ter "duas frentes ativas", tem agora "uma única frente, embora extensa".

Já em Cinfães, Viseu, 64 operacionais, auxiliados por 17 meios terrestres e três meios aéreos, combatem um incêndio em povoamento com duas frentes ativas, que teve início cerca das 8:30 desta segunda-feira.

"Continua ativo, mas não há povoações em risco. Arde numa zona de mato", explicou fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Viseu, em declarações prestadas cerca das 12:30 à Lusa.