O incêndio que lavra em Boticas há dois dias está “dominado”, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), permanecendo no terreno 265 operacionais, 85 viaturas e um helicóptero.

Este fogo que deflagrou na zona de Codessoso, no concelho de Boticas, lavra desde as 16:17 de segunda-feira, já queimou uma vasta área de pinhal e obrigou à retirada das pessoas mais vulneráveis, como crianças e idosos, da aldeia de Torneiros.

Ao início da tarde de hoje o incêndio foi dado como “dominado” e está agora em “fase de resolução”, com as atenções centradas nas operações de consolidação de forma a evitar reacendimentos.

Segundo a página da internet da ANPC, no terreno permanecem 265 operacionais, que contam com o apoio de 85 viaturas, 85 viaturas e um meio aéreo.

Para este concelho do distrito de Vila Real foram mobilizados reforços da Força Especial de Bombeiros (FEB), dos bombeiros de Leiria e ainda três grupos de Lisboa.

Esta manhã, o presidente da Câmara de Boticas, Fernando Queiroga, fez um balanço das consequências deste fogo que, segundo frisou, “destruiu metade da mancha florestal do concelho, deixando cerca de dois mil hectares queimados e um cenário desolador.

“Arderam cerca de dois mil hectares, 90% da área é pinhal. Muito, muito prejuízo, é desolador olhar para o meu concelho agora”, afirmou Fernando Queiroga.

No distrito de Vila Real, continua ainda ativo o fogo que lavra desde as 10:48 de segunda-feira, na zona de Soutelinho do Mezio, em Vila Pouca de Aguiar, e mobiliza 153 homens e 43 viaturas.

O combate a este fogo foi reforçado com uma equipa proveniente do Sul do país.

A página da internet da ANPC dava conta de 14 incêndios ativos no distrito de Vila Real, pelas 14:15, que mobilizam 559 operacionais, 173 viaturas e um meio aéreo.