A Polícia Judiciária deteve um homem pela presumível prática de um crime de incêndio florestal no concelho de Mangualde, que ocorreu há pouco mais de duas semanas, a 15 de julho.

Recorde-se que Mangualde foi fustigado por um grande incêndio a partir do dia seguinte, domingo, 16 de julho, que chegou a ameaçar casas e alcançou outras localidades. Foi dominado só na sexta-feira seguinte e voltou a reacender a 28 de julho.

Em comunicado, a PJ informa que que o homem detido, de 41 anos, é solteiro e copeiro.

O incêndio que terá cometido deflagrou junto à Senhora do Castelo, "em terreno povoado com pinheiros, tendo ardido uma área com cerca de 2,2 hectares".

O suspeito atuou num quadro de alcoolismo e utilizou um isqueiro para atear o incêndio".

O detido tem antecedentes criminais pelo mesmo tipo de crime. Será presente às autoridades judiciárias competentes para primeiro interrogatório e aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

A detenção foi levada a cabo pela Diretoria do Centro, contando com a colaboração da GNR de Mangualde.

Este ano, a PJ já identificou e deteve 45 pessoas pela autoria do crime de incêndio florestal.

Já o balanço da Proteção Civil aponta para 71 detenções, com a informação adicional de 118 mil hectares ardidos este ano, até ao momento.