A Câmara de Barcelos admitiu nesta segunda-feira que poderá decretar o acionamento do Plano Municipal de Emergência, face aos incêndios que fustigam a zona norte do concelho.

Em comunicado, a Câmara refere que foi convocada para terça-feira uma reunião da Comissão Municipal de Proteção Civil, para avaliar a situação dos incêndios e definir a adoção das medidas tendentes a minimizar os seus impactos.

“O encontro permitirá aferir a necessidade de decretar o acionamento do Plano Municipal de Emergência”, acrescenta o comunicado.

Um incêndio florestal que deflagrou pelas 14:58 de domingo em Tamel Santa Leocádia, em Barcelos, já se propagou a várias outras freguesias, continuando hoje com três frentes ativas

O 2.º comandante operacional distrital de Braga, Vítor Azevedo, disse à Lusa que “ainda não há qualquer perspetiva temporal” para que o incêndio possa ser dado por controlado.

Segundo aquele responsável, o vento forte com constantes oscilações de direção tem sido umas das principais dificuldades encontradas pelos bombeiros no combate às chamas.

Além disso, destacou a “grande carga combustível” da floresta em questão e o seu “completo abandono”, com uma “total inexistência de limpeza”.

Vítor Azevedo disse que as chamas já se propagaram a várias outras freguesias não só do concelho de Barcelos, como Aldreu, Palme, Feitos e Vila Cova, mas também de Esposende, como Vila Chã.