O incêndio que começou pelas 20:33 de terça-feira em Baiol, no concelho de Seia, foi dominado pelos bombeiros às 15:59 de hoje, segundo informação da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

O fogo que chegou a mobilizar 78 operacionais e 18 veículos progrediu em local de difícil acesso aos meios de combate terrestres, refere a ANPC na sua página na internet.

Também o incêndio que começou pelas 22:50 de terça-feira em Loriga, no concelho de Seia, foi dominado pelos bombeiros às 17:14 de hoje.

O fogo, que chegou a mobilizar 37 homens, 10 veículos e um helicóptero bombardeiro, progrediu «em local de difícil acesso aos meios de combate terrestres», refere a ANPC na sua página na internet.

Segundo a fonte, o incêndio eclodiu numa zona de mato, progrediu com uma frente, e o seu combate foi dificultado devido ao vento forte que soprou no local.

A GNR está a investigar a origem destes dois incêndios florestais registados no concelho de Seia.

Segundo o tenente-coronel Cunha Rasteiro, oficial de relações públicas do Comando Territorial da GNR da Guarda, estão no terreno equipas de proteção florestal do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) do Destacamento Territorial de Gouveia.

O responsável referiu hoje à agência Lusa que o incêndio de Baiol «foi originado por causas naturais».

«Terá sido o vento forte que derrubou linhas aéreas de média tensão que terão provocado o incêndio», referiu.

As causas do outro fogo que eclodiu na zona de Loriga estão ainda a ser investigadas pela GNR.

«Estamos a investigar se foi originado por uma queimada ou por algum pastor que ateou as chamas para renovação de pastagens», admitiu Cunha Rasteiro.