O presidente da Câmara de Moimenta da Beira, José Eduardo Ferreira, considerou essencial que seja reposto o potencial produtivo das áreas agrícolas consumidas pelo incêndio que deflagrou na quinta-feira no concelho e foi dominado nesta sexta-feira de manhã.

«É muito importante que seja dada alguma compensação pelos prejuízos, mas sobretudo que se consiga repor o potencial produtivo, porque há um conjunto de famílias que perderam todas as hipóteses de rendimento que tinham», disse o autarca à agência Lusa.

As chamas consumiram uma grande área de floresta, sobreiros, olivais, vinhas e pomares nas povoações de Castelo, Paradinha, Nagosa e Cabaços.