Um homem de 58 anos foi detido pela Polícia Judiciária (PJ) por suspeita da prática de dois crimes de incêndio florestal no concelho de Miranda do Corvo, distrito de Coimbra, no último domingo, foi hoje anunciado.

Segundo um comunicado da Diretoria do Centro, o detido é suspeito de ter ateado um fogo em Godinhela, pelas 02:00, e outro em Albarrol, cerca das 13:00, que destruíram uma área de mato, pinheiros e eucaliptos de 2.000 e 100.000 metros quadrados, respetivamente.

"O primeiro incêndio ocorreu na noite de sábado para domingo quando o detido se deslocava do local onde estivera a ingerir bebidas alcoólicas para a sua residência", explica a nota.

O segundo fogo lavrou com intensidade e chegou a ter quatro frentes ativas, tendo sido combatido por 267 operacionais apoiados por 70 veículos e 11 meios aéreos, segundo a Proteção Civil.

De acordo com a PJ, os dois incêndios "foram ateados com um isqueiro pelo detido, sem que tenha conseguido explicar porque o fez, mas o seu comportamento parece resultar de um forte impulso para atear o fogo".

O detido, que reside na freguesia de Miranda do Corvo, vai ser presente às autoridades judiciárias para primeiro interrogatório e aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

Em 2017, a PJ já identificou e deteve 53 pessoas pela autoria do crime de incêndio florestal.