Várias pessoas idosas e outras com mobilidade reduzida foram hoje retiradas das suas habitações e colocadas em casa de familiares "como medida de precaução", devido ao incêndio que lavra em Monchique, no Algarve, disse à Lusa o comandante Richard Marques.

"Por antecipação, decidimos retirar algumas pessoas por precaução, nomeadamente as mais vulneráveis, que são os idosos e pessoas com mobilidade reduzida", disse o comandante operacional dos bombeiros do Algarve, Richard Marques.

Segundo aquele comandante, pelas 13:50 "o fogo com uma frente ativa continua a lavrar com intensidade e a evoluir para sul da Fóia, no concelho de Monchique, dando alguma preocupação" devido às casas dispersas pela serra.

Já durante a noite, houve duas situações que obrigaram á retirada das pessoas da serra. Uma idosa e outra pessoa com mobilidade reduzida foram retiradas das suas casas por prevenção e alojadas em casas de familiares,

"O edificado disperso leva a que a prioridade seja a de proteger pessoas e habitações, levando a que se concentrem os meios junto às zonas habitadas, para evitar males maiores", sublinhou.

Richard Marques disse ainda que, "até ao momento, não há registo de que alguma habitação tivesse sido atingida pelo fogo, registando apenas um caso de uma bombeira que teve de ser assistida devido à inalação de fumo".

Um total de 415 operacionais de várias corporações combatem as chamas que deflagram desde sábado à tarde, apoiados por 126 veículos, nove meios aéreos, segundo a atualização da Proteção Civil. Há ainda cinco máquinas de rasto. 

Homem detido em Fóia

Um homem foi detido na zona da Fóia, no sábado, suspeito de ter sido o autor de vários focos de incêndio, disse ainda à agência Lusa fonte dos bombeiros do Algarve.

De acordo com  Abel Gomes, "o homem foi apanhado em flagrante a atear incêndios durante a tarde, tendo sido detido pelas autoridades policiais".

Abel Gomes explicou que a detenção ocorreu depois de os bombeiros terem solicitado a intervenção da GNR e da PJ, "face ao número anormal de ignições que se registaram durante a tarde e quase à mesma hora em vários locais do concelho de Monchique".

"Registaram-se ignições durante a tarde em vários locais, perto de estradas e acessos, o que nos levou a pedir a intervenção da GNR e da PJ", destacou.

 

Quase 30 concelhos em risco máximo de incêndio

Quase trinta concelhos de dez distritos do país estão este domingo em risco 'Máximo' de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com o IPMA, estão em risco 'Máximo' de incêndio os concelhos de Vila Pouca de Aguiar e Ribeira de Pena (Vila Real), Cabeceiras de Basto (Braga), Baião (Porto), Castelo de Paiva e Arouca (Aveiro), São Pedro do Sul, Castro Daire, Vila Nova de Paiva e Sernancelhe (Viseu), Trancoso, Aguiar da Beira, Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Gouveia, Guarda e Sabugal (Guarda).

Também em risco 'Máximo' de incêndio estão Arganil, Góis, Pampilhosa da Serra, Miranda do Corvo (Coimbra), Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos e Pedrógão Grande (Leiria), Oleiros, Sertã e Vila de Rei (Castelo Branco) e Sardoal e Mação (Santarém).

O instituto colocou também em risco ‘Muito Elevado’ e ‘Elevado’ dezenas de concelhos de vários distritos do norte, centro e sul do país.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre ‘Reduzido' e 'Máximo'.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 em cada dia, relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Para hoje, o IPMA prevê para hoje tempo quente e seco, com céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade até ao fim da manhã no litoral a norte do Cabo Raso, podendo persistir em alguns locais da faixa costeira.

O vento em geral vai soprar fraco (inferior a 20 km/h) do quadrante norte, sendo do quadrante leste no Algarve, soprando moderado (20 a 30 km/h) na faixa costeira a norte do Cabo Espichel e nas terras altas a partir da tarde.

Está igualmente prevista uma pequena subida de temperatura na região Sul.