As imagens do interior do Cascais Atrium, o edifício de apartamentos que sofreu um incêndio grave no sábado, mostram a devastação provocada pelo fogo e pela água usada no combate às chamas naquele prédio.

Tanto as casas como as áreas comuns estão destruídas. Foi este cenário que encontraram os moradores, autorizados a voltar ao prédio para tentar recuperar alguns bens, já que o edifício não tem condições de habitabilidade.

Emoção e indignação testemunhados pela reportagem da TVI. Uma moradora disse que nem consegue descrever “por palavras” o que sente ou o que sentiu ao ver a casa a arder. Já Caio Mendes, morador do terceiro piso, disse que encontrou “um cenário de guerra, não se aproveita nada”, e ainda "foi roubado", já que deixou a porta aberta quando, na madrugada de sábado, teve de fugir de casa.

O incêndio começou no quarto andar e subiu até ao nono. As portas foram arrombadas para facilitar o combate às chamas. Os bombeiros estiveram no local durante toda a noite, por causa dos "pequenos rescaldos" e começaram este domingo de manhã a abandonar o local, ficando a segurança do edifício entregue à segurança privada.

“Não têm condições de habitabilidade"

“A estrutura do edifício não ficou afetada, mas os apartamentos não têm condições de habitabilidade", foi esta a conclusão da avaliação técnica, no sábado à tarde. Esta primeira avaliação já foi corroborada este domingo de manhã, 24 horas após o fogo ter sido dominado.

Pelas 19:00 de sábado chegou a confirmação daquilo que os moradores temiam: não podiam regressar às casas.

"Além do fogo, as casas ficaram danificadas com a água do combate ao incêndio e não há energia elétrica, nem água, por isso as pessoas não têm condições de ficarem nas suas casas", acrescentou o comandante Carlos Mata, no sábado. 

"Não sabemos ao certo quantas pessoas ficaram desalojadas, porque muitos apartamentos não estavam habitados”. A Câmara de Cascais recebeu dois pedidos para alojamento, que, entretanto foram retirados.

A administração do condomínio reúne-se na segunda-feira com a Câmara de Cascais para delinear o futuro. 

Incêndio começou de madrugada

O incêndio, que teve início às 03:08 e só foi dado como dominado às 09:30, deflagrou nos cinco pisos superiores do Cascais Atrium, com mais de uma centena de apartamentos, num edifício composto por dez pisos.

A vistoria foi feita ao final da tarde de sábado, depois de o fogo ter sido dado como extinto às 19:00. Na sequência do incêndio seis pessoas foram assistidas, "apenas por precaução", no Hospital de Cascais, devido à inalação de fumos.

O combate ao incêndio foi dificultado por ter deflagrado não apenas no interior das habitações, mas também no exterior, no átrio do edifício.

No local, estiveram ainda 94 operacionais dos bombeiros, da PSP, da Polícia Municipal de Cascais e da Proteção Civil.