São fotografias de um cenário que parece apocalítico. Imagens que mostram a impressionante dimensão que atingiu o incêndio de domingo em Vieira de Leiria. O monstro de fumo, que já foi apelidado de “Adamastor”, foi captado pela objetiva do fotógrafo João Mourinho.

Apesar de não ser uma das fotos que mais prazer me dá fazer, uma imagem continua a valer mais que mil palavras... E como fotógrafo tinha de deixar um registo deste monstro que nos assombra...”, afirma o autor à TVI24, através de uma mensagem privada enviada via Facebook.

Já em entrevista ao mesmo canal televisivo, João Mourinho conta a história que está por detrás das imagens impressionantes que captou.

Fui assim apanhado um bocadinho de surpresa. Eu vinha a caminho de casa e, de repente, no carro, vejo uma grande fumarada no ar e, assim que cheguei a casa, a primeira reação que tive foi ir a correr até ao telhado e tentar ver de onde é que aquilo vinha porque já desconfiava que pudesse ser um fogo bastante perto. Como fotógrafo a primeira reação é sempre ir buscar a máquina e tentar fazer alguma coisa”.

Instado a fazer um comentário sobre cada um dos três retratos em particular, o autor revela o que lhe ia na alma no momento em que apontava a objetiva.

Basicamente elas [as três fotografias] são muito parecidas. A questão é que é sempre uma visão monstruosa ver uma coluna desse tamanho a caminhar em direção à nossa querida terra (...) Uma pessoa fica sem reação, sem saber o que há-de fazer, principalmente vendo a direção que o vento está a tomar e o resultado está à vista: uma hora depois tinha chegado de São Pedro até à nossa localidade e foi o caos total.”

As fotos de João Mourinho são divulgadas um dia depois de uma outra, publicada pelo bombeiro Hélio Madeiras no Facebook a partir do quartel dos Bombeiros Voluntários de Vieira de Leiria, que se tornou viral, com milhares de interações e partilhas.