O Tribunal de Vila Verde aplicou prisão domiciliária, com vigilância eletrónica, a um homem de 60 anos detido pela Polícia Judiciária de Braga, pela presumível autoria de um incêndio num armazém agrícola.

O homem é motorista nos Bombeiros Voluntários de Vila Verde, mas está suspenso de funções depois de, há cerca de uma semana, ter sido “apanhado” a conduzir uma ambulância alcoolizado.

A ambulância esteve envolvida num acidente, de que resultaram ferimentos ligeiros no condutor e numa doente que nela era transportada.

Na quarta-feira, o arguido terá pegado fogo a um anexo da casa da ex-mulher.

Segundo um comunicado da PJ, atuou “num quadro de vingança e em estado de embriaguez”.

“O incêndio veio a ser extinto, não consumindo o armazém nem se alastrando para os terrenos e habitações nas proximidades, devido à rápida intervenção dos bombeiros e da GNR de Vila Verde, que rapidamente se deslocaram para o local."

O arguido já tinha sido proibido pelo tribunal, no âmbito de um processo por violência doméstica, de se aproximar da casa da ex-mulher.

No entanto, ainda está a aguardar pela colocação da pulseira.