A Polícia Judiciária (PJ) anunciou, esta sexta-feira, que deteve um homem de 50 anos por «fortes suspeitas» da autoria de um incêndio florestal ocorrido no final do passado mês de junho perto da cidade alentejana de Évora.

O detido, «cuja motivação para a prática dos factos se desconhece», vai ser presente em tribunal para primeiro interrogatório judicial e eventual aplicação de medidas de coação, explica a PJ, em comunicado.

Segundo a polícia, o incêndio deflagrou num terreno com sobreiros e eucaliptos situado próximo do perímetro urbano da cidade de Évora e o fogo foi posto na vegetação rasteira existente no local, com recurso a chama direta.

O incêndio destruiu cerca de 35.000 metros quadrados de coberto vegetal e provocou danos por carbonização nas árvores existentes, indica a PJ.

De acordo com a PJ, o calor que se fazia sentir e a baixa humidade registada na altura "levaram a que o incêndio atingisse grande intensidade" e tivesse sido combatido "durante um largo período de tempo".

No âmbito das diligências realizadas, foi possível recolher elementos que apontam para que o detido seja o autor de, pelo menos, mais dois incêndios em ecopontos na cidade de Évora e de um conjunto de incêndios florestais ocorridos em 2012 na região, situações que irão ser investigadas "de forma mais aprofundada", indica a PJ.