José Valente ficou sem casa depois de ter acumulado uma dívida de IMI. Só que depois da venda do imóvel, José Valente  passou de devedor a credor do Fisco e ainda não viu os 17 mil euros que reclama à administração fiscal.

O caso remonta a 2012. Desempregado, José Valente começou a ter dificuldades em pagar as prestações de IMI e, por isso, segundo o «Jornal de Notícias», acumulou uma dívida de cerca de 800 euros em dois anos.

Em novembro do ano passado, recebeu um último aviso de que a casa seria penhorada, mas José Valente não tinha possibilidades de pagar a dívida, que já ascendia aos dois mil euros. A habitação, um apartamento T1 em Ermesinde, acabou por ser vendido por 47 661,1 euros. 

O valor da venda não só deu para pagar a dívida de José Valente, como ainda sobrou. Cerca de 17 mil euros é o montante que, segundo a informação que lhe deram nas Finanças, lhe é devido.

José Valente tem de deixar o apartamento até dia 13 de abril e não tem nenhum lugar para onde ir. O agora credor do Fisco mostrou-se revoltado ao «Jornal de Notícias» e não se conforma com a situação, exigindo poder aceder aos 17 mil euros.