O ilustrador português André Letria foi distinguido, pelo segundo ano consecutivo, pela Associação Profissional de Ilustradores da Catalunha, Espanha, pelo livro «Mar», com texto de Ricardo Henriques, como foi anunciado esta sexta-feira.

Aquela associação atribui anualmente os prémios Junceda para o melhor da ilustração espanhola, em vários suportes, distinguindo também o universo da ilustração portuguesa no prémio «Junceda Ibèria».

André Letria recebe este galardão pelo livro «Mar», uma obra direcionada para a infância e descrita como um «atividário», com pequenos textos de Ricardo Henriques sobre os oceanos ou ligados ao mar, ordenados alfabeticamente - como a caravela, o escafrandro, a rede, o farol e a alforreca - acompanhados de sugestões de 80 atividades relacionadas com a temática.

Em 2012, o ilustrador tinha recebido este mesmo prémio com a obra «Se eu fosse um livro», com texto de José Jorge Letria.

Tanto «Mar» como «Se eu fosse um livro», ambos recomendados pelo Plano Nacional de Leitura, foram editados pela Pato Lógico Edições.

Nascido em Lisboa, em 1973, André Letria dedica-se em exclusivo à ilustração desde 1992, em partiular à ilustração para a infância, tendo publicado livros como «Versos de fazer ó-ó» e «Estrambólicos», com José Jorge Letria, e «Não quero usar óculos», com Carla Maia de Almeida.

Já foi distinguido com o Prémio Nacional de Ilustração (1999) e o Prémio Calouste Gulbenkian (2006), recorda a Lusa.