Cinco dos nove arguidos detidos pela GNR em Ílhavo, na segunda-feira, por tráfico de droga ficaram esta quarta-feira em prisão preventiva, disse à Lusa uma fonte judicial.

A detenção ocorreu durante uma operação policial de combate ao tráfico de droga realizada num acampamento localizado na Gafanha de Aquém, no concelho de Ílhavo.

Após terem sido presentes a primeiro interrogatório judicial, o juiz de instrução criminal determinou a medida de coação de prisão preventiva para três homens e duas mulheres.

Os restantes arguidos, quatro mulheres, ficaram sujeitos a apresentações periódicas às autoridades policiais.

O acampamento popularmente conhecido como "Asterix" está referenciado como sendo um local de tráfico de droga, nomeadamente heroína e cocaína, com a frequente deslocação de consumidores de vários concelhos da região de Aveiro.

Em 2008, nove homens e cinco mulheres residentes no mesmo acampamento foram julgados no tribunal de Ílhavo por crimes de tráfico de droga e posse de arma proibida.

O processo ditou penas de prisão efetiva para oito pessoas, entre os sete e os nove anos e meio.

Três outros acusados foram condenados a penas de prisão suspensas, que variam entre quatro anos e meio e cinco anos.

Num dos casos a suspensão da pena ficou condicionada ao pagamento de 5.000 euros a uma instituição de combate à toxicodependência.

Outros três acusados foram absolvidos por não se ter provado o envolvimento nos crimes.