O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) anunciou hoje a identificação de 30 pessoas em Vila Real, por permanência ilegal no país e suspeitas de crime de burla e falsificação de documentos.

Este serviço de segurança avançou, em comunicado enviado à Lusa, que as ações de fiscalização, realizadas em dois estabelecimentos noturnos de Vila Real, tiveram como objetivo controlar a permanência de cidadãos estrangeiros em Portugal e dissuadir a exploração de mão-de-obra ilegal.

Os donos dos espaços, segundo o SEF, incorrem em multas que podem ir até aos 2.000 euros.

Dando cumprimento a um mandado de detenção emitido pelo tribunal, o SEF deteve uma mulher, de nacionalidade estrangeira, suspeita da prática de crime de burla e falsificação de documentos tendo, ainda, sido constituída arguida por posse de arma ilegal.

Num dos bares, este serviço de segurança deteve uma cidadã estrangeira por permanência ilegal no país, tendo sido obrigada pelo Tribunal de Vila Real a apresentar-se, de 15 em 15 dias, às autoridades policiais da sua área de residência.

O SEF notificou ainda duas pessoas para abandonar voluntariamente Portugal, sob pena de incorrer em afastamento coercivo em caso de incumprimento, e outras duas para comparecer na sua delegação.