O ministro-adjunto, Eduardo Cabrita, reiterou esta quarta-feira a prioridade do executivo na igualdade nas empresas e em ambiente laboral, criticando uma "visão estereotipada das profissões".

Uma agenda para igualdade nas empresas e mercado de trabalho é uma prioridade que temos", vincou Cabrita, no arranque da audição desta manhã na comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias.

O governante frisou que o executivo já avançou a nível legislativo com várias matérias referentes à igualdade de género e de combate à disparidade salarial, por exemplo, vincando que, nesta fase, muitas das matérias a nível de "cidadania e igualdade" passam pelo parlamento e pelo debate entre as várias bancadas.

"Temos toda a disponibilidade, nos termos que entenderem, para participar neste debate", acrescentou, sublinhando, todavia, haver um "sentimento de urgência" global na sociedade que pede um rápido implementar de medidas de combate às desigualdades de género.

Eduardo Cabrita abordou ainda o combate à discriminação racial e matérias ligadas à "autodeterminação sexual e identidade do género", reconhecendo que neste último ponto vive-se ainda uma "fase mais preliminar do debate"