O ministro da Saúde anunciou esta terça-feira que, dentro de duas semanas, vai pronunciar-se sobre as recomendações da Inspeção Geral das Atividades em Saúde (IGAS), após a investigação que efetuou ao presidente do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

Paulo Macedo, que falava aos jornalistas no final da cerimónia de entrega de 36 ambulâncias do INEM aos bombeiros, confirmou que a IGAS já efetuou o seu trabalho e que cabe agora ao ministro avaliar as suas recomendações.

Em causa estão, como lembrou Paulo Macedo, três questões envolvendo o presidente do INEM, o médico major Paulo Campos, sobre as quais a IGAS já se pronunciou.

Além da sindicância solicitada pelo INEM, a IGAS investigou o alegado desvio de uma ambulância com uma doente prioritária, para que a mulher de Paulo Campos conseguisse chegar a horas ao hospital onde trabalha, em Gaia.

A outra investigação está relacionada com a suposta intervenção do presidente do INEM na transferência de uma doente de helicóptero do hospital de Cascais para o de Abrantes.

Paulo Campos terá alegadamente autorizado a transferência desta doente de helicóptero do INEM, apesar do hospital não o ter solicitado.

O ministro da Saúde disse que está a analisar as recomendações da IGAS e que, sobre estas, deverá pronunciar-se dentro de duas semanas, relata a Lusa.