Portugal deverá ser o segundo país da União Europeia (UE) com a maior proporção de pessoas com 80 ou mais anos em 2080, numa lista que deverá ser liderada pela Eslováquia, segundo dados divulgados hoje pelo Eurostat.

No âmbito do dia internacional das pessoas idosas, dia 01 de outubro, o gabinete oficial de estatísticas da UE prevê que, dentro de 65 anos, uma em cada oito pessoas deverá ter 80 ou mais anos, destacando-se nestas projeções a Eslováquia, onde esses idosos deverão ter um peso de 16,3% no total da população.

Em 2080, Portugal deverá ter 15,8% de pessoas com 80 ou mais anos, seguindo-se a Alemanha (15,1%) e a Polónia (14,9%), enquanto do lado oposto deverão estar a Irlanda (7,4%), Lituânia (8,9%) e a Letónia (9,5%).


No ano passado, 18,5% dos habitantes na UE tinham 65 ou mais anos, uma percentagem que deverá subir até aos 30% em 2080, acrescentou o Eurostat.

As pessoas com 80 ou mais anos de idade deverão mais do que duplicar no período analisado, traduzindo uma subida de cerca de 05% em 2014 para 12,3% da população em 2080, lê-se na projeção do gabinete europeu, que sublinhou os efeitos destas alterações demográficas a nível da situação económica e da inclusão social dos idosos.

Os números da UE registaram que, em 2013, 18,2% dos idosos corriam o risco de pobreza ou exclusão social, com oito Estados-membros a mostrarem que as pessoas com 65 ou mais anos eram mais suscetíveis de viverem dificuldades do que os mais jovens, nomeadamente na Bulgária, Estónia, Eslovénia e Croácia.

Para assinalar o dia do idoso, o Eurostat divulgou os dados sobre a utilização de internet entre os mais velhos e registou que, em 2014, menos de metade (42%) dos habitantes entre os 65 e os 74 anos afirmaram-se internautas. Em Portugal, a percentagem de idosos internautas foi de 23%.

Os países com mais utilizadores eram a Dinamarca (84%), Luxemburgo (81%) e Suécia (78%), enquanto com menos idosos ligados à internet estavam a Roménia (10%), Bulgária (10%), Grécia (14%) e Chipre (16%).

A maioria dos utilizadores idosos serve-se da internet para enviar ou receber correio, procura informações sobre bens e serviços e para se informar sobre a atualidade.

Quase um quarto dos internautas idosos da UE utilizou, no ano passado, as redes sociais, em especial a Hungria (51%), Portugal (44%), Malta e Suécia (ambos com 43%). Menos participantes nas redes sociais estiveram as pessoas mais velhas na Alemanha (11%), República Checa (15%) e França (17%).