“O crime vinha a ser praticado há cerca de 9 anos, sendo vítima um homem atualmente com 61 anos de idade, coabitando com os suspeitos e tendo apenas acesso a uma casa de banho e corredor da habitação. Ao longo de todo este tempo a vítima deixou de ter acesso aos seus documentos e contas bancárias”, esclarece a PJ em comunicado.