O ministro do Planeamento e das Infraestruturas anunciou esta terça-feira que "as grandes obras" de requalificação do Itinerário Complementar (IC) 1 entre Alcácer do Sal e Grândola, orçadas em 6,4 milhões de euros, "devem começar no início de 2018".

Pedro Marques esteve junto ao IC1, após a cerimónia de apresentação do projeto de requalificação, que está em fase de concurso público internacional, estando o início da empreitada previsto para o primeiro trimestre de 2018.

Estamos a fazer as obras mais urgentes, aquelas que têm a ver com a retirada das lombas associadas às raízes e vamos estar no ano de 2018 a fazer a grande obra que impedirá que estas condições voltem a acontecer no troço entre Alcácer e Grândola", assegurou o governante.

Esta "primeira intervenção" é, para Pedro Marques, "a mais importante do ponto de vista da segurança", tendo em conta que a via "é percorrida no eixo de atravessamento norte-sul por centenas e centenas de milhares de portugueses".

Obras em curso

As obras em curso, que começaram a 6 de abril, representam um investimento total de "339 mil euros" que deverá estar concluído até junho, segundo a Infraestruturas de Portugal (IP). Incluem "trabalhos de reabilitação funcional do pavimento", que incluem "execução de fresagens, remoção das deformações originadas pelas raízes e aplicação de camada betuminosa nas zonas intervencionadas".

A empreitada de beneficiação do IC1 anunciada para 2018, no valor de 6,4 milhões de euros, prevê a requalificação de 15,7 quilómetros, entre o entroncamento com a Estrada Municipal 120, no concelho de Alcácer do Sal, e o entroncamento com o IC33, no concelho de Grândola.

A obra inclui, entre outras intervenções, a reabilitação estrutural do pavimento, a renovação, readaptação e complemento da sinalização e dos equipamentos de segurança, a instalação de sistemas semafóricos, a requalificação de sistemas de drenagem e a construção de um canal técnico rodoviário.

O concurso público para a execução da empreitada foi publicado em Diário da República, após a jurisdição direta sobre o troço do IC1 em causa ter passado para a IP no início do mês de abril, com a dispensa do Tribunal de Contas do visto prévio ao contrato renegociado da subconcessão do Baixo Alentejo.

Utentes falam de "promessas de datas"

Em reação ao anúncio do lançamento do concurso público, a Comissão de Utentes do IC1 de Alcácer do Sal e Grândola divulgou um comunicado em que lembra terem já sido feitas "inúmeras promessas de datas", esperando que a atual não seja "fogo de vista".

Os utentes e populações dos dois concelhos mais atingidos, têm o direito de circular nesta infraestrutura rodoviária em condições de segurança", lê-se no mesmo documento, em que a Comissão de Utentes exige ao Estado uma "solução definitiva", "transparência", "responsabilidade" e "respeito pelas populações e pelos utentes" da via.

As comissões de utentes e as autarquias de Alcácer do Sal e de Grândola têm lutado nos últimos anos pela requalificação urgente da via, a que chegaram a apelidar de "estrada da morte", com vários protestos, marchas lentas e encontros com grupos parlamentares e governantes.