A Polícia Judiciária (PJ) anunciou, esta terça-feira, a detenção de um médico nos Açores pela alegada prática de dois crimes de abuso sexual de pessoa internada.

Em comunicado, o Departamento de Investigação Criminal de Ponta Delgada da PJ adianta que os crimes terão sido cometidos “no interior de um gabinete médico do serviço de urgência de uma unidade hospitalar”.

A vítima, de 33 anos de idade, havia dado entrada naquele serviço, em estado febril e com dores de ouvidos e garganta”, acabando por sofrer abusos por parte do clínico, “altura em que fugiu do gabinete e foi pedir ajuda”, adianta o comunicado.

A PJ acrescenta que o arguido, de 34 anos, ficou proibido de sair da ilha de São Miguel e obrigado a entregar o passaporte.

À Lusa, fonte da PJ esclareceu que os factos ocorreram no hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, onde o médico exercia funções.

A mesma fonte referiu que prosseguem as diligências no sentido de esclarecer esta situação, assim como aferir se este é um caso isolado.

Fonte da assessoria de imprensa do hospital do Divino Espírito Santo informou que a unidade “vai avançar com um processo de averiguações”.