Unidades hospitalares como o Centro Hospitalar de Lisboa Norte, Lisboa Ocidental, Garcia de Horta, Amadora-Sintra e Centro Hospitalar Universitário de Coimbra estão a alargar os seus horários de trabalho para travar as enormes filas de espera de algumas especialidades.

Os hospitais estão a aumentar a carga horária em áreas de «pressão», a realizar exames à noite e aos fins-de-semana em especialidades como a oftalmologia, ortopedia ou dermatologia. A notícia foi avançada esta quarta-feira pelo «Diário de Notícias», que cita fonte do Conselho de administração (CA) do Centro Hospitalar de Lisboa Norte, entidade que analisa os alargamentos nas especialidades acima referidas.

O presidente do CA, Carlos Martins, diz que «se está a analisar o alargamento de horários pelo menos até às 20 horas em áreas de pressão, como ortopedia, dermatologia, cirurgia plástica ou oftalmologia».

Algumas áreas já beneficiam destes alargamentos e o administrador garante que desde que se começou a trabalhar ao sábado na área da imagiologia se conseguiu diminuir a fila de espera das TAC (Tomografia Axial Computorizada), ressonâncias e raio X em 25%. Carlos Martins garante, também, que é possível acrescentar o domingo aos dias de trabalho. A radioterapia também sofreu alterações, e passou a ter o horário alargado das 21 horas à meia-noite.

O DN fala em tempos de espera que ultrapassavam o ano e meio em oftalmologia, no caso do Amadora-Sintra, que já foram reduzidos graças à medida.

As horas extras e fins de semana são pagos em acrescento, mas os hospitais garantem que os custos não dão prejuízo pois evita-se o envio de doentes para outras unidades.