Mais de uma centena de enfermeiros são esperados hoje à tarde numa vigília junto ao Hospital Garcia da Horta, em Almada, em protesto contra «despedimentos e falta de condições» dos hospitais e centros de saúde do distrito de Lisboa.

O protesto, organizado pelo Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), decorre entre as 16:30 e as 20:00.

Em declarações à agência Lusa, Zuraima Prado, do SEP, explicou que esta ação de protesto, que junta também utentes e alguns responsáveis municipais, visa «denunciar a degradação das condições de trabalho daqueles profissionais de saúde».

«As alterações que têm surgido nos últimos tempos estão a originar situações caóticas em vários hospitais e centros de saúde. Isso deve-se sobretudo ao despedimento de centenas de enfermeiros que depois não são substituídos», afirmou a responsável.

Zuraima Prado disse ainda que em muitos hospitais e centros de saúde do distrito de Lisboa estão a faltar materiais como luvas, ligaduras e pensos e até vacinas, motivo pelo qual os enfermeiros também protestam.

«Tínhamos que sair à rua e denunciar esta situação. Estamos a assistir a uma degradação da qualidade do serviço que põe em causa também a segurança dos utentes. Isto não pode continuar», sublinhou.

O aumento da carga horária semanal das 35 para as 40 horas é também outro motivo de protesto dos enfermeiros.