A direção da Federação Nacional dos Médicos (FNAM) defendeu hoje ser ilegal o fecho dos serviços da Maternidade Alfredo da Costa antes de uma ordem escrita e de uma decisão judicial.

Pilar Vicente, da FNAM, disse à Lusa que os profissionais da MAC «estão na disposição de não sair sem receberem uma ordem escrita, devidamente legal».

Neste sentido, o sindicato apoia os profissionais e defende que se trata de uma ilegalidade, estando ao lado deles na decisão de não abandonar a MAC.

A «ordem verbal» dada para a saída dos profissionais de saúde da maternidade «vem contra as decições que foram tomadas em Justiça», diz Pilar acrescentando que «não há nenhuma ordem do tribunal».

O julgamento da providência cautelar interposto contra o fecho da MAC começou a 25 de março e Paulo Macedo, na sua última ida à Comissão Parlamentar de Saúde disse que se aguardavam respostas da providência cautelar para avançar com planos para a MAC.