As urgências do Hospital de São José, em Lisboa, estão a funcionar «num espaço alternativo nesta unidade hospitalar» na sequência da avaria do ar condicionado, que obrigou também à transferência dos doentes do serviço de Observações para os claustros.

«O Conselho de Administração do Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE (CHLC) esclarece que, na sequência de uma avaria que afetou o ar condicionado na Urgência Polivalente do CHLC - Hospital de S. José, e perante o agravamento das condições atmosféricas, o Centro Hospitalar decidiu implementar o plano de contingência para estas situações, utilizando para isso um espaço alternativo nesta unidade hospitalar», esclareceu o hospital, em resposta enviada à agência Lusa.

O gabinete de comunicação adiantou também que os doentes do Serviço de Observações foram transferidos para os claustros do hospital, «onde existem vários aparelhos de ar condicionado em funcionamento».

Na sexta-feira, a Direção Geral da Saúde (DGS) alertou que o país está muito próximo de ultrapassar as temperaturas máximas históricas e revelou que o calor já aumentou a procura das urgências hospitalares.

Em conferência de imprensa conjunta entre a DGS e o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) e o Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), o diretor-geral da Saúde, Francisco George, chamou a atenção para o risco de excesso de mortalidade que estas temperaturas podem trazer, sobretudo para idosos com mais de 75 anos e portadores de doenças crónicas.

Sem adiantar números ou pormenores, o gabinete de comunicação do Hospital de São José confirmou também que houve «um ligeiro aumento da procura da urgência polivalente nos últimos dias» naquela unidade hospitalar.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou hoje os distritos de Lisboa e Setúbal em aviso vermelho, o mais grave de uma escala de quatro, por previsão de «persistência de valores elevados da temperatura máxima».

O aviso vermelho vai manter-se ativo até às 21:00 de domingo.