admitiu pagar mais aos médicos que fizerem «urgências»