Uma equipa de especialistas do Hospital Santa Maria tomou hoje uma decisão sobre a gravidez da criança de 12 anos que ali está internada, mas não a vai divulgar, tendo em conta “a proteção da privacidade” da menor.

Uma nota do Centro Hospitalar de Lisboa Norte (CHLN), a que pertence o Hospital de Santa Maria, dá conta de que se reuniu hoje “uma equipa multidisciplinar, constituída pela direção clínica da instituição e por pediatras, pedopsiquiatras, obstetras, psicóloga e assistentes sociais”.

A criança terá sido violada pelo padrasto, que se encontra detido, e dado o avançar da gravidez, além do tempo que a lei portuguesa permite para a interrupção, o hospital foi chamado a pronunciar-se sobre o caso.

A reunião teve como objetivo “a análise conjunta do contexto inerente à criança grávida, de 12 anos, atualmente internada no serviço de pediatria do CHLN”.

A equipa considerou “os aspetos clínicos, éticos, jurídicos e sociais que decorrem da situação em causa”, tendo tomado uma decisão, “considerando o superior interesse da criança”.

O CHLN não divulga, porém, a decisão tomada por estes especialistas, “no respeito pela confidencialidade médica e na proteção da privacidade da criança”.

Esta quarta-feira, a mãe da menina foi constituída arguida com termo de identidade e residência por alegada conivência com os abusos sexuais praticados pelo companheiro à filha durante cerca de dois anos.