A Inspeção Geral das Atividades em Saúde (IGAS) está a acompanhar a investigação que o Hospital Garcia de Orta, em Almada, está a realizar à morte de um utente com pulseira amarela nas urgências, ocorrida domingo, segundo fonte oficial.

De acordo com fonte do gabinete do ministro da Saúde, a IGAS está neste momento a acompanhar o desenvolvimento da investigação do hospital.

Fonte do Garcia da Orta, disse à Lusa que o conselho de administração pediu uma averiguação ao caso e que antes da sua conclusão não se irá pronunciar.

O caso ocorreu no domingo, quando um utente morreu após esperar cerca de três horas para ser visto por um médico e apesar de ter uma pulseira amarela (a terceira mais grave de cinco) que, de acordo com a Triagem de Manchester, define uma espera até 60 minutos.