Um doente com um aneurisma morreu, esta terça-feira, a caminho do Hospital de São José, em Lisboa, depois de ter estado mais de uma hora à espera, no hospital de Abrantes, por uma vaga num hospital com neurocirurgia.

A vítima, de 75 anos, tinha dado entrada no hospital de Abrantes cerca das às 10:00, com uma hemorragia cerebral, causada por um aneurisma. Face à gravidade do caso, os médicos decidiram transferir o doente para uma unidade hospitalar com o serviço de neurocirurgia.

Fonte do Centro Hospitalar Médio Tejo confirmou à TVI que foi acionado o INEM com uma chamada às 10:00 mas, não obtendo resposta positiva por parte de nenhum hospital, os médicos decidiram fazer eles próprios o contacto para uma unidade com neurocirurgia.

A resposta positiva chegou cerca de uma hora depois, por parte do Hospital de São José, em Lisboa, e o helicóptero foi ativado, tendo chegado a Abrantes cerca das 12:30.

Em comunicado enviado à TVI, o CODU do INEM revela que recebeu, “às 10h06m, um pedido do Hospital de Abrantes para o transporte secundário por helicóptero de um doente para o Hospital de S. José, em Lisboa.”

“Às 10:31 o CODU foi informado pelo médico do Hospital de Abrantes que, afinal, não havia vaga para o doente no Hospital de S. José, nem no Hospital de S. Maria, ficando o pedido sem efeito. O médico informou que iria tentar encontrar vaga noutro hospital e voltaria a telefonar para o CODU”.

Segundo a mesma nota, “o médico do Hospital de Abrantes contactou novamente o CODU às 11:49, solicitando novamente o helitransporte secundário para o Hospital de S. José, uma vez que a referida unidade hospitalar já teria vaga para aquele doente. Nesse sentido, o helicóptero de Évora foi acionado às 11:54, tendo levantado voo às 12:00 e aterrado em Abrantes às 12:37. O transporte para Lisboa foi iniciado às 13:18, sendo o doente entregue na unidade hospitalar de destino às 14:05”.

Durante o transporte, o paciente entrou em paragem cardiorrespiratória, que foi revertida pela tripulação. A segunda paragem respiratória aconteceu já no Hospital de São José, antes do doente chegar ao bloco operatório.

Em sete meses, esta é a segunda morte que acontece por falta de assistência hospitalar. A 14 de dezembro do ano passado, David Duarte morreu com aneurisma cerebral,  - alegadamente por falta de tratamento em São José, para onde foi transferido a 11 de dezembro e onde acabou por morrer.