O Hospital de Cascais terá pedido um exame ao VIH sem informar a paciente, uma jovem de 23 anos, chamada Filipa, com piercings e tatuagens no corpo. A notícia é avançada, esta quarta-feira, pelo jornal «I». O caso foi denunciado na internet pelo site bitaites.org, da responsabilidade do pai do namorado da paciente.

Além de não ter pedido autorização à paciente para a realização do exame VIH, também não terá entregue à jovem os resultados dos exames como é procedimento habitual. Aliás, a paciente só soube que exames lhe tinham realizado, porque os exigiu.

O Hospital de Cascais justificou, ao pai do namorado numa reunião com a administração, a realização do exame com o fato de a doente ter glóbulos brancos elevados. A instituição explicou que nestes casos não é necessário consentimento ou autorização, «até porque tal criaria ansiedades desnecessárias no caso de resultados negativos».

Em declarações ao jornal «I» a jovem relatou que sentiu frieza por parte da médica que, a dado momento, a «olhou de cima a baixo» e se limitou a pedir exames. Na altura, atribui essa reação ao facto de ter o corpo tatuado de forma visível. O Hospital de cascais recusa qualquer atitude discriminatória.

Filipa foi à urgências com dores e febres altas, sintomas que achou estarem ligados a uma infeção urinária, diagnosticada um mês antes no Hospital de São José.