O presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) disse este sábado que o primeiro lugar alcançado no ranking dos hospitais públicosdemonstra a qualidade e dedicação dos profissionais que ali prestam serviço.

«Mostra, antes de mais, a qualidade dos profissionais deste grande hospital que todos os dias colocam o seu saber, conhecimento e dedicação ao serviço dos doentes que em nós confiam», disse à agência Lusa José Martins Nunes.

Criado em 2011, o CHUC agrega os hospitais da Universidade de Coimbra e Geral (vulgarmente conhecido por Hospital dos Covões), as maternidades Daniel de Matos e Bissaya Barreto, o Hospital Pediátrico e o Centro Hospitalar Psiquiátrico de Coimbra.

Um estudo sobre a qualidade das unidades de saúde em termos de internamento, realizado por um investigador da Escola Nacional de Saúde Pública e hoje divulgado na imprensa nacional, revela que o CHUC estreia-se em primeiro lugar no ranking dos hospitais públicos portugueses.

José Martins Nunes destacou ainda a «excelência» da medicina praticada no CHUC, lembrando que o centro hospitalar «é o maior hospital português» e cuja atividade se reveste de «uma enorme complexidade».

«Será o único que possui todas as especialidades [médicas], excetuando os transplantes pulmonares», indicou, destacando ainda diversas valências ali existentes como o centro de tumores oculares ou os centros de trauma e trauma pediátrico, entre outros.

Segundo dados de 2013, disponibilizados à agência Lusa, o CHUC possui ao serviço mais de 7.600 efetivos - dos quais quase 1.500 são médicos especialistas e 2.744 enfermeiros - abrangendo uma área de influência direta estimada em mais de 450 mil habitantes e uma área de influência total, enquanto centro hospitalar de referenciação, que ultrapassa 1, 6 milhões de habitantes.

No ano passado mais de 64 mil doentes agudos saíram das unidades de internamento do CHUC , foram realizadas mais de 880 mil consultas externas e cerca de 287 mil atendimentos de urgência, dos quais 60 mil de urgência pediátrica e 27.500 de obstetrícia e ginecológica.

O número de cirurgias realizadas em 2013 ultrapassou as 62 mil e o número de partos cifrou-se em 4.823.