A Direção Geral de Saúde está a analisar a necessidade de aumentar a exigência das regras de segurança nos hospitais portugueses na sequência do contágio de uma enfermeira espanhola com Ébola, tendo marcado o anúncio para as 10:00.

«Estamos a rever, com especialistas portugueses, as normas que foram emitidas em Portugal», avançou à agência Lusa o diretor-geral de Saúde, Francisco George.

«Não sabemos se [essas normas] terão de ser ou não alteradas no sentido da maior exigência – se é que é possível maior exigência – em relação sobretudo à frente hospitalar», acrescentou.

Escusando-se a adiantar pormenores, «enquanto os especialistas não terminarem a revisão das normas que tinham sido emitidas», Francisco George referiu que a entidade de Saúde irá apresentar os resultados desta análise num comunicado a emitir às 10:00.

A análise à necessidade de mudar as normas de segurança está a ser feita depois de na segura-feira ter sido confirmado que uma enfermeira espanhola foi contagiada com o vírus do Ébola.

A enfermeira foi a que atendeu o missionário Manuel Garcia Viejo, vítima mortal de Ébola no dia 25 de setembro, num hospital madrileno.

A situação tornou-se no primeiro caso de contágio deste vírus na Europa, que já matou mais de 3.000 pessoas na África Ocidental.