O suspeito de ter assassinado à facada uma mulher no Fundão, durante a madrugada de sábado, vai aguardar julgamento em prisão preventiva, disse hoje à Lusa o advogado de defesa do presumível autor do crime.

A medida de coação foi conhecida depois de o suspeito, um homem de 32 anos que mantinha uma relação afetiva com a vítima, ter sido detido e presente a tribunal para o primeiro interrogatório judicial.

"Prestou declarações e esclareceu os factos", referiu, em declarações à Lusa, o advogado, Jorge Gaspar.

Em comunicado emitido hoje, a Polícia Judiciária (PJ) da Guarda já tinha confirmado a detenção do suspeito deste homicídio qualificado, crime que ocorreu ao início da madrugada de sábado, no interior da residência da vítima, em Aldeia Nova do Cabo, no concelho do Fundão, distrito de Castelo Branco.

A mulher, que tinha 29 anos, foi encontrada ao início da manhã pelo filho que vivia com ela, uma criança de cinco anos, que alertou as autoridades. 

Na informação divulgada hoje, o Departamento de Investigação Criminal da Guarda adianta que a vítima "foi brutalmente agredida pelo autor com dezenas de golpes corto-perfurantes, desferidos com recurso à utilização de uma faca de cozinha, os quais terão sido causa direta e imediata da sua morte".

"O suspeito, que terá mantido uma relação amorosa com a vítima durante aproximadamente três anos, acabou, entretanto, por confessar os factos, mas não sem que antes tivesse adotado especiais cuidados de destruição de relevantes elementos de prova relativos aos mesmos e às circunstâncias em que tiveram lugar", acrescenta a PJ.