A PSP confirmou, esta quinta-feira, em comunicado, que a mulher encontrada morta esta quinta-feira em Setúbal já tinha denunciado às autoridades que era vítima de «violência doméstica, no âmbito do processo de divórcio».

«A PSP confiram a existência de uma denúncia por violência doméstica, no âmbito de um processo de divórcio, que foi avaliada nos termos de risco e de acordo com a vontade expressa pela senhora no momento em que se deslocou às instalações policiais. Face ao baixo risco da situação, esta apenas ficou para acompanhamento e a vítima regressou por vontade expressa da mesma para a sua residência».

Segundo a PSP, o alerta para o homicídio foi dado, via 112, cerca das 4:45. Quando a polícia e o INEM chegaram ao local, encontraram «a senhora prostrada no solo com sinais de violência e vestígios de sangue, tendo sido prestados os primeiros socorros». «A tentativa de reanimação foi infrutífera», avança ainda o comunicado.

Quanto ao agressor, a mesma força policial revela que, «após mediação verbal com psicólogos do INEM, foi possível retirar uma arma branca ao suspeito (...) que atentava suicidar-se. Os polícias, numa ação concertada pelo INEM e num momento de fragilidade do suspeito, conseguiram retirar-lhe a faca e manietá-lo». Face aos «diversos golpes de faca no corpo», o marido da vítima acabou por ser «transportado, sob detenção, para o hospital São Bernardo onde se encontra internado e sem correr risco de vida».