Um homem de 21 anos foi condenado, em Almada, a 16 anos de prisão, por ter matado a avó num contexto de violência familiar, informou a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

Segundo a página da internet da PGDL, o arguido foi criado pela vítima, sua avó, com quem sempre viveu.

«A motivação [do crime] assentou na circunstância daquele [arguido] exigir entrega de dinheiro [à avó] e não ser, em regra, atendido, tendo iniciado (…) agressões em escalada, que culminaram no ato letal (pontapés e murros)», explica a PGDL.


A vítima, de 78 anos, apresentou várias queixas às autoridades, as quais acabaram sempre por ser retiradas pela própria idosa, com a justificação de que as lesões eram provocadas por «quedas aleatórias, e assim ilibar o neto».

O arguido, que cometeu o crime em janeiro de 2014 em Corroios, no concelho do Seixal, foi julgado e condenado pelo Tribunal de Almada por um crime de homicídio qualificado.