A Polícia Judiciária (PJ) de Aveiro anunciou, esta segunda-feira, a detenção de um rapaz, de 16 anos, suspeito de ter baleado na cabeça a avó, de 62 anos, na passada sexta-feira, em Sever do Vouga.

O crime ocorreu na casa dos avós, com quem o menor vivia, na freguesia de Pessegueiro do Vouga, e foi praticado com uma pistola que o detido terá roubado no mesmo dia à tarde na casa de um seu conhecido.

«À noite, depois do jantar, quando o seu avô já se tinha ido deitar e a sua avó se encontrava recostada num sofá a ver televisão, aproximou-se dela por trás e disparou, a muito curta distância, atingindo-a na cabeça», diz a PJ.

Segundo a PJ, o suspeito tentou ainda disparar um segundo tiro, mas a arma acabou por encravar, o que impediu que o menor conseguisse consumar o homicídio.

A vítima foi conduzida ao Hospital de Aveiro e depois foi transferida para os Hospitais da Universidade de Coimbra, para ser sujeita a exames, encontrando-se livre de perigo.

O arguido já tinha sido detido pela PJ na passada terça-feira, pelo crime de incêndio florestal, e estava sujeito a apresentações diárias no posto da GNR da área da sua residência.

O suspeito da prática do crime de homicídio na forma tentada foi presente no passado sábado a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva, já que é considerado penalmente imputável.

A partir dos 16 anos, os agentes do crime serão responsabilizados pelo Direito Penal e, como tal, são julgados e podem ser presos como um adulto.

Porém, em sede de julgamento, o arguido encontra-se abrangido por um regime especial de jovens delinquentes que pode levar a uma atenuação especial da pena.