Um empresário de Aveiro foi esta terça-feira condenado pelo Tribunal de Coimbra a 18 anos de prisão por matar o companheiro da ex-mulher e de também tentar matar esta.

O Tribunal de Coimbra condenou o empresário a 18 anos de prisão por homicídio simples na forma agravada por uso de arma, por homicídio qualificado na forma tentada e por detenção de arma proibida.

De acordo com o Tribunal, o homicídio do companheiro da ex-mulher passou de qualificado para a forma simples «por não ter existido preparação do ato», surgindo na sequência de «uma luta entre os dois homens».

«Em princípio, iremos recorrer» da decisão, disse a advogada de defesa do empresário, Teresa Borges, em declarações aos jornalistas.

A advogada de defesa afirmou que «não havia lugar à qualificação» no crime de homicídio na forma tentada, referindo que vai analisar os fundamentos da sentença, que, a seu ver, «excede» aquilo que considerava ser uma pena razoável.

Os crimes ocorreram a 18 de agosto de 2013, dia do casamento do filho do empresário de 68 anos, tendo o companheiro da ex-mulher falecido no local.

Segundo o arguido, este deslocou-se à casa da ex-mulher e do companheiro da ex-mulher a 18 de agosto de 2013 para resolver problemas relacionados com os seus bens, que estavam em nome da mulher da qual se separou em 2009.

Nas alegações finais, o Ministério Público pediu uma pena de prisão de 21 a 23 anos, considerando não haver «quaisquer dúvidas» sobre a prática dos alegados crimes, e referindo que a investigação e os exames periciais «acabam por confirmar os factos já visionados no filme das câmaras de vigilância».