O homem de 50 anos acusado de ter esfaqueado mortalmente a mulher, no passado mês de março, em Esmoriz, no concelho de Ovar, confessou o crime, esta quarta-feira, no Tribunal de Aveiro. Disse que está arrependido.

Dei a facada e fui telefonar à ambulância. Depois caí em mim e vi que tinha feito asneira".

Na primeira sessão do julgamento, o homem relatou ainda que se aproximou da mulher, de 51 anos, para lhe pedir perdão, mas esta "já tinha poucos sinais de vida".

Perante o coletivo de juízes, o arguido explicou o homicídio praticado no dia 25 de março de 2017, na habitação do casal, dizendo que a mulher era "muito conflituosa".

O homem contou que, no dia do crime, discutiu com a mulher e que a começou a agredir com um bastão, por suspeitar que esta o iria trocar por outro homem.

A ofendida conseguiu fugir e pedir ajuda, mas o arguido pegou numa faca e atingiu-a com um golpe.

Estou arrependido. Nunca imaginaria que isso acontecesse comigo. Se hoje pudesse voltar atrás eu voltava".

O indivíduo garantiu que, durante os quase 25 anos de casados, nunca tentou agredir a esposa.

O homem, que se encontra em prisão preventiva, está acusado de um crime de homicídio qualificado e um crime de detenção de arma proibida.